Colunista Anderson Gregório Joaquim

Exercício Físico e Saúde
Anderson Gregorio Joaquim
- Mestrando em Ciências - FMRP – USP
- Formado em Educação Física e Esportes pela EEFERP - USP
- Possui Licenciatura Plena em Educação Física pela UNAERP

 

Você sabia que Exercício Físico pode curar a Síndrome Metabólica? Síndrome é um conjunto de sinais e sintomas que reflete que algo (no corpo) não está indo bem, ou seja, pode ter como característica um estado de adoecimento. Creio que ninguém gostaria de viver com alguma síndrome e ter menos possibilidades de viver uma vida que vale a pena. 

A Síndrome Metabólica é um conjunto de fatores de risco para se ter doenças cardiometabólicas, das quais incluem: dislipidemia, obesidade abdominal, hipertensão, resistência à insulina e/ou diabetes já diagnosticado. Isso é tão sério, que a chance de ocorrer morte prematura aumenta em ~3 vezes (Lakka e colaboradores, 2002). 

Quem tem Síndrome Metabólica apresenta 3 ou mais dos seguintes fatores: Glicemia de Jejum alterada (≥110 mg/dl); Circunferência Abdominal (≥ 94 cm para os homens e ≥ 80 cm para as mulheres); Pressão Arterial ≥130/85 mmHg; Triglicerídeos (≥150 mg/dl); HDL-colesterol (≤ 50 mg/dl). 

E não há pílula específica que trate essa síndrome, sendo necessário que as pessoas priorizem seus hábitos de vida. Uma dessas mudanças poderia ser com a realização de exercício físico; alimentação consciente também? Claro. 

Stensvold e colaboradores (2011) realizaram um estudo populacional envolvendo 50.339 pessoas. Destas, 13.449 tinham Síndrome Metabólica e foram acompanhadas por 10 anos para avaliar a mortalidade. Eles também foram questionados a respeito do nível de prática de exercício físico. 

A prevalência da doença nos adultos abaixo de 65 anos foi de 23%, enquanto nos acima de 65 anos foi de 44%. Nos idosos o risco relativo de morte por qualquer causa foi de 1,35 vezes a mais. Nos jovens foi de 1,78 vezes para doença cardiovascular. Um risco relativo maior que 1 neste caso, significa altas chances para a morte. 

Por outro lado, as pessoas com Síndrome Metabólica, mas que praticavam adequadamente exercício, o risco relativo de morte por qualquer causa foi muito menor, 0,52 vezes para os jovens e 0,59 vezes para os idosos. Outro achado foi que o fato de ser sedentário, seja com ou sem Síndrome Metabólica, o risco de morte foi sempre muito alto. 

Acredito que os profissionais possam contribuir em muito com todos, seja prevenindo e/ou tratando as síndromes. Entretanto, é ansiado que estas pessoas que “adquiriram” ou não a doença, acredite em si mesmas e busquem também internamente evitar uma vida que se continuar, será breve! Procure um profissional capacitado para estas melhoras, não deixe para amanhã! Esta síndrome pode ser revertida, ou seja, o exercício pode curar a síndrome metabólica!

 

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook