Claudia De La Rua

Consultoria Beleza e Estilo

Claudia de La Rua
Jornalista (MTB 34.796), especialista em comunicação organizacional e consultoria de imagem
Quer saber mais sobre moda, estilo, beleza, saúde e afins. Acompanhe as redes sociais:
Facebook: Consultoria Beleza e Estilo (facebook.com/claudiadelarua)

Instagram: @claudiadelarua

Moda e autoestimaNada é mais atraente do que uma mulher segura, autoconfiante e inteligente. Quer fazer parte desse time? Leia o texto com muita atenção!

O que a moda tem a ver com a autoestima? A resposta depende de alguns fatores:
1) A relação que você tem com ela;
2) Se você coloca a moda para trabalhar a seu favor ou contra você;
3) Se você usa a moda para valorizar seus pontos fortes ou se fantasiar de outra pessoa.
4) Neste texto não me refiro à moda no sentido limitado da “tendência”, mas sim como um conjunto de fatores capaz de valorizar e harmonizar o estilo pessoal de cada mulher.

Parece loucura? Mas é pura realidade. Toda vez que vejo alguém infeliz com a própria aparência lembro quando era criança e também me sentia fora dos padrões. As meninas bonitas da escola eram loiras, altas e tinham os olhos claros. Eu, ao contrário, era baixinha, tinha um “cabelo ruim”, usava óculos e aparelho. Não era fácil, mas sempre tive um grande apoio em casa e alguém que me ensinava a aceitar o que não poderia ser mudado. Com a maturidade, escolhi fazer a única coisa que dependia só de mim: aprender a me amar do jeito que vim ao mundo. Os olhos castanhos e os cabelos cacheados também tem sua beleza.

Provavelmente você aprendeu a ver a moda como futilidade por conta desse padrão de beleza que ela dita, em geral, associada à superficialidade. Porém, existe o outro lado disso tudo. A moda que eu acredito, pratico e ensino para minhas clientes durante o processo da Consultoria de Imagem é uma ferramenta capaz de melhorar a nossa imagem como um todo.

Não podemos deixar que discursos rasos nos façam esquecer que a nossa forma de vestir é algo que afeta todos os outros setores da nossa vida. Isso não é apenas moda ou tendência: é estilo. Ao entrar no provador de uma loja para experimentar uma roupa, você leva junto toda uma história, o que você pensa de si mesma e também o que quer que os outros pensem. Se você entender essa relação de forma saudável e inteligente, poderá ter uma grande aliada para se tornar mais autoconfiante.

Minha trajetória com a moda {seja por experiência própria ou pelas histórias contadas por clientes} tem apresentado respostas importantes e positivas de que cuidar da imagem, e estar satisfeita com isso, libera um ativo importante de bem viver, que é a autoestima. Uma peça de roupa não tem o poder de aumentar a nossa felicidade. Mas tem o poder de oferecer outro ponto de vista de nós mesmas.

Comprar uma roupa não é solução para elevar o nível de autoestima. Quem se apega nisso corre o grande risco de se afogar num guarda-roupa lotado ou até de camuflar algum conflito interno. No entanto, a maneira como você se veste pode ajudá-la a gostar mais de você. Não dá para escolher ser alta ou baixa, mas pode-se decidir o que vai vestir para valorizar seus pontos fortes, disfarçar os fracos e se apresentar de uma forma que te deixe mais feliz.

Sua moda deve comunicar sua personalidade, suas escolhas e preferências. Deve ser um incentivo para amar seus aspectos únicos; amar estar na própria pele. A autoestima está intimamente relacionada à consciência do seu próprio valor. A boa notícia é que mudar de atitude e viver de forma mais leve e feliz consigo mesma só depende de você. Ainda há muito por fazer, comece agora... e se precisar de uma ajudinha tô por aqui!

 

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook