Fabiano Santos

Manuscritos de Ideias

Fabiano Santos
Nascido em Itapeva/SP, Fabiano Santos é formado em Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e Inglesa, Pedagogia e especialista em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa e Estrangeira. Atua como professor efetivo nas redes Municipal e Estadual. Autor do livro de poesias, “Amoresias”, adora escrever sobre temas atuais da sociedade.

Já me disseram que tenho uma tendência ao pessimismo, que não consigo ver o lado bom das coisas, muito menos das pessoas; não é intenção, nem confirmo essa auto definição. O que me faz ver sempre o perfil obscuro daquilo que analiso é o fato de estar sempre em busca de melhorias, e continuarei com esse espírito de inovação, transformação e “pessimismo necessário”.

Por exemplo, a questão cultural de nossa cidade é uma porta de entrada para todos os pessimistas, que assim como eu, não conseguem ter uma perspectiva de melhoria, embora vontade não falte. Enxergo o lado bom daqueles que mesmo sem investimento e apoio, fazem arte; encantam as plateias com montagens de peças teatrais, produzem sons e movimentos; que alguém lá do topo possa criar coragem para o trabalho e busque alternativas para uma valorização cultural na capital dos minérios. Por isso sou pessimista?

Gostaria de ver o lado bom do comércio local, mas nessa questão não consigo nem ao menos ver uma luz do túnel. Faltam opções e preços acessíveis de produtos de qualidade para uma população assalariada; grandes empresas e redes de supermercado que acabem com o monopólio; somente assim a cidade finalmente se desenvolverá plenamente. Por isso sou pessimista?

Também sou negativo em relação à Educação Municipal, mas não entrarei em discussão nesse ponto, pois assim como a professora Abigail, vou remando lentamente, até que uma ajuda apareça e possa finalmente voltar a ensinar, e não ficar preso em pilhas de papéis que não melhorarão nada. Por isso sou pessimista?

Por outro lado, sou otimista ao observar as obras para melhoria física e estética da cidade, que em apenas seis meses já está bem visível e com certeza beneficiará os itapevenses. Que essa ação do atual governo continue pelos próximos anos, mas que a zona rural não seja esquecida.

Mas voltando ao lado ruim, não consigo entender o valor do combustível aqui em nossa cidade, comparado a outros municípios da região, como Itapetininga. Não compreendo como essa diferença gritante ocorre, nem quem são os responsáveis ou o que fazer para mudar isso, mas a questão é que estamos sendo assaltados explicitamente pelas bombas de álcool e gasolina. Por isso sou pessimista?

Morar de aluguel em Itapeva também não traz nenhum ponto positivo, afinal o preço pago pelas famílias, inclusive em casas simplórias e localização não tão boa, é digno de bocas abertas, mãos para o alto e peito na parede; as imobiliárias pensam que o povo herdou uma fortuna, ou que o servidor público municipal recebe em euro. Por isso sou pessimista?

Já considerei a ideia de passar por um psicólogo e ver se o problema sou eu, ou se não me conformo com pouco e almejo viver em um meio onde as oportunidades, opções, investimentos e pessoas altamente capacitadas estejam presentes e tornando pessimistas em otimistas.

 

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook