Fabiano Santos

Manuscritos de Ideias

Fabiano Santos
Nascido em Itapeva/SP, Fabiano Santos é formado em Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e Inglesa, Pedagogia e especialista em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa e Estrangeira. Atua como professor efetivo nas redes Municipal e Estadual. Autor do livro de poesias, “Amoresias”, adora escrever sobre temas atuais da sociedade.

Família: a mais importante das instituições para formação de um cidadão crítico e consciente; com as estruturas danificadas pela influência negativa de diversos fatores, inclusive dela mesma. A família não compreende seu próprio papel frente às gerações que precisam de apoio e exemplos de criticidade, cidadania, colaboração mútua, valores sociais e morais.

Os pais estão transferindo a função de criar para a escola, não diferenciam as bases de cada uma. A escola não tem a obrigação de formar o caráter da criança, isso é dever dos responsáveis, que na maioria das vezes são omissos em relação às questões cabíveis a eles; ignoram o fato de que a educação é um processo amplo, no qual família e escola devem interagir com acordo, sem substituições.

Um exemplo claro do que estou querendo dizer com esse texto, são os alunos indisciplinados que têm os responsáveis convocados para uma conversa com a unidade escola, mas nem aparecem na data. É aquela velha história de que somente os pais dos alunos bons é que se preocupam com a vida escolar de seus filhos, fazem-se presentes no dia-a-dia e se preocupam com os resultados obtidos.

Com a expansão da tecnologia e mídia associada à ruptura do verdadeiro significado de família, vemos um crescente descaso, uma falência múltipla de indivíduos independentes e integralmente desenvolvidos. Deixar uma criança vinte e quatro horas por dia em frente ao celular, trancada em um quarto, sem convívio e diálogo, não é educar; é assassinar uma geração carente de atenção verdadeira, de adultos comprometidos com o bem-estar psicológico e cognitivo.

A parceria entre família e escola é um elo importantíssimo no desenvolvimento de qualquer criança ou adolescente. Não há como negar que uma família quando se descuida do âmbito escolar de seus filhos, estes apresentam queda acentuada nos resultados obtidos dos boletins bimestrais. É preciso, portanto, que a família, seja ela que composição tiver, cumpra os seus deveres e que a escola faça valer sua proposta pedagógica como meta, para que ambos possam atingir seus objetivos na formação dos futuros adultos.

A especificidade da escola não pode ser desviada para funções que não são suas e o ensino deve ser aplicado para o crescimento intelectual. Social e econômico de cada aluno. Aos pais cabe todo o empenho de acompanhar a formação de seu filho desde o nascimento até a maioridade para que sua educação moral, de caráter e escolar sejam positivas, pois a família é o fator que mais tem influência na educação.

É de extrema importância o comparecimento dos pais ao menos duas vezes por bimestre na escola dos filhos, para saber como eles estão indo nos estudos, conversar com professores e verificar a interação com os demais colegas de classe. Não basta apenas olhar cadernos e perguntar como estão, é preciso participar, se fazer presente neste acompanhamento.

Termino esse texto citando o sábio Içami Tiba: “Para a escola, os alunos são apenas transeuntes psicopedagógicos. Passam por um período pedagógico e, com certeza, um dia vão embora. Mas, família não se escolhe e não há como mudar de sangue. As escolas mudam, mas os pais dão eternos”.

 

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook