Fernanda Angélica de Barros

Desenvolvimento e Carreira

Fernanda Angélica de Barros
É formada em Administração pela FAFIT, pós-graduada em Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas pela PUCPR e possui MBA em Marketing e Vendas pela FMU.

 

A formação do preço, seja no comércio, indústria ou serviço, é um assunto bastante delicado e acredito ser uma das maiores dificuldades dos empresários. Seja pela dificuldade em realizar os cálculos, seja por desconhecimento da sua importância ou por mera falta de informação.

Saber exatamente o preço correto para a venda é extremamente importante quando se trata de finanças, o preço é uma das alternativas que o cliente procura e é um item decisivo na hora da compra. Alguns itens devem ser levados em consideração quando pensamos na formação de preço, tais como: quais os custos fixos da empresa? Os gastos fixos são valores que nunca variam, independentemente da quantidade de vendas, um dos itens que podemos usar como exemplo é o aluguel, que independentemente do número de itens vendidos, sempre terá um mesmo valor. Outro item importante é o gasto variável, que como o próprio nome já diz, varia de acordo com a quantidade de itens vendidos, como por exemplo, em uma venda de mercadoria em que há gasto com fretes, quanto mais mercadorias vendidas, maiores os gastos com fretes.

Conhecendo estes valores de forma detalhada, conseguimos fazer cálculos para chegar a informações sobre o preço. Informações estas que ajudam no momento de pensar de forma estratégica no preço. Devemos identificar qual a margem de lucro queremos obter com a negociação, qual o valor mínimo de venda, valor em que não haja nem ganhos nem perdas e qual o preço de venda que paga os gastos fixos e gastos variáveis, com sobra, que é o tão esperado lucro. Além disso temos de analisar o preço de venda ideal identificando qual o preço que o mercado está praticando, qual o preço os concorrentes estão ofertando seus produtos ou serviços, quais as vantagens na negociação que posso oferecer ao meu cliente e inclusive, quais os valores de desconto que posso passar para o cliente, sem que este desconto prejudique as finanças da empresa.

Muitas vezes, sem informação e sem cálculos exatos, os preços são postos sem nenhuma regra, somente observando a movimentação do mercado e dos concorrentes, ou seja, se o meu concorrente diminui o preço, também diminuo para ser competitivo. Eis o grande problema, pois cada empresa possui uma estrutura única com gastos diferentes e quando somente o mercado é o balizador dos preços, as empresas ficam bastante vulneráveis a problemas de desequilíbrios financeiros. Mantenha uma rotina de cálculos e análises de preço de venda, esteja sempre atento ao mercado e as oscilações de preços que compõem os gastos.

Se possível, mantenha um histórico dos preços e utilize a gestão para a tomada de decisões. E lembre-se: não basta vender em grandes quantidades, é preciso vender com o preço correto!

 

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook