Fernanda Angélica de Barros

Desenvolvimento e Carreira

Fernanda Angélica de Barros
É formada em Administração pela FAFIT, pós-graduada em Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas pela PUCPR e possui MBA em Marketing e Vendas pela FMU.

 

Quando assumimos um cargo de liderança temos o comando de uma equipe, muitas vezes esta equipe possui problemas a serem enfrentados, problemas antigos, problemas novos, problemas de relacionamento, de produção, enfim... A voz de comando do líder dá o direcionamento para o sucesso (ou fracasso) da equipe, consequentemente da empresa.

A linha é tênue entre a liderança que motiva e a que pressiona, portanto deve-se ter muito cuidado ao transmitir a informação desejada. Liderar pelo amor ou pela dor são dois opostos e são fruto da herança cultural da empresa, tenha em vista seus líderes passados ou a própria forma de trabalhar. A liderança pelo amor, aquela onde o funcionário tem mais liberdade e se sente motivado a trabalhar com vontade pela empresa certamente é a melhor opção, nenhum funcionário se sentirá bem em um ambiente hostil. Porém, nesta liderança deve-se haver muita confiança e maturidade da equipe, que irá atender as necessidades da empresa de forma imediata e evitando problemas. A liderança pela dor, ao contrário, impõe um ambiente de pressão para que as tarefas sejam executadas, sem o pulso firme e forte não há entregas nos prazos. Esta liderança é perigosa, pois afeta a motivação do funcionário, mas em alguns ambientes onde não há maturidade ou algum problema maior, deve-se utilizar esta forma de trabalho.

O equilíbrio é sempre a melhor forma de trabalhar, normalmente há altos e baixos em uma organização e em alguns momentos ser mais enérgico faz parte do papel do líder. Mas também deve haver o momento da recompensa, da aceitação e da parceria, para que todos consigam resultados positivos. Para o liderado estas características ficam claras, pois ele observa o tempo todo a forma como é tratado, porém para o líder perceber onde está acertando ou errando é necessária a observação e em alguns momentos, o feedback dos membros da equipe. E você? Como lidera? Está preparado para tal função? Deseja estar em algum cargo de liderança em algum momento no futuro? Prepare-se, é uma tarefa desafiadora, mas a recompensa virá certamente.

 

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook