Quer trocar?

Itararé tem a Caçula brilhando no esporte, Capão Bonito mantem o Eloesport há décadas, Itapetininga entra no vôlei profissional e Itapeva tem o locutor de rodeio. Entra governo e passa governo o cidadão continua enganando e conseguindo uma boquinha.

Duplicação Já

É importante que todas as cidades da região se unam em prol desta realização que não acontece. O contrato foi assinado há 17 anos e só recebemos o pedágio. Até quando seremos ignorados por nossos representantes (?), governo do Estado e a CCR?

Corregedor
No dia em que recebeu a notícia de sua aposentadoria, após 38 anos dedicados ao serviço público, o vereador Pedro Corrêa (PSD) foi eleito por unanimidade para o cargo de corregedor da Câmara Municipal. Foram 28 anos como delegado de Polícia e outros 10 servindo ao Judiciário, onde trabalhou como escrevente e oficial de Justiça no início de carreira.

Denúncia
O clima esquentou na sessão do Legislativo de segunda-feira (14) como há muito tempo não se via. Com mais de duas horas de duração, a sessão foi dominada pelo debate envolvendo a denúncia apresentada pelo vereador Margarido (PP) mostrando que, na sexta-feira (11), funcionários da Prefeitura trabalhavam em uma propriedade particular no Bairro Faxinal utilizando maquinário da frota municipal. O assunto ganhou repercussão imediata depois de ser publicado na página pessoal do vereador. O vereador cumpriu seu papel de agente fiscalizador e o fez bem. E agora?

Quem avisa...
Enquanto o telão mostrava imagens sobre a situação precária das estradas em outros bairros da zona rural, Margarido disse que considera uma vergonha a situação atual.
“Eu já tinha avisado ao prefeito e ao secretário, mas as estradas continuam desse jeito. Então vocês estão vendo como está a situação das estradas públicas de Itapeva”. O fato mais importante é que a filmagem foi encaminhada ao Ministério Público. Mais um grave problema para o prefeito resolver. A cidade está abandonada e as máquinas trabalhando em terrenos particulares?

Churrasco
Dizendo possuir a gravação como prova, Margarido denunciou que a propriedade supostamente beneficiada promoveu um churrasco em troca dos serviços.
“Na sexta-feira teve um churrasquinho lá na garagem municipal, senhor presidente, patrocinado pelo dono da propriedade. Mas foi para os coitados dos operadores que foram lá? Não, não foi. Foi para o secretário e diretores. Então eu estou contando aqui que foi um crime o que aconteceu na sexta-feira em Itapeva”. Eles fazem o churrasco e quem paga a conta é o povo. Uma vergonha desta Administração que prometeu tanto e parou nas promessas. Esse realmente é um crime grosseiro que segundo o vereador existem provas e deve ser tratado desta forma. Uma vergonha.

Fora de órbita
Atento à gravidade da denúncia, Tião do Taxi (PR) tomou as dores da Administração e, sem citar Margarido, pediu cautela aos colegas.
“O que vem acontecendo é que a denúncia nem mesmo é formulada e já está exposta nas redes sociais. Isso não é bom nem para o vereador, nem para o secretário e nem para a Administração. Então eu vejo que precisa de muita cautela e de muita capacidade para fazer essa denúncia para que elas sejam verdadeiras”. Fica aqui o desafio lançado para que o vereador torne pública a relação de projetos que conseguiu aprovar ao longo de sua longínqua vida pública. Parece brincadeira. O vereador Tião do Taxi perdeu uma grande chance de ficar calado. Está dizendo que as filmagens do vereador Margarido são forjadas?

Oportunidade
Aproveitando a presença secretário Andrei Müzel e equipe na sessão na sessão da última segunda-feira, Láercio Lopes (PMDB) subiu à Tribuna para parabenizar o trabalho da Secretaria da Educação
. “Aproveitando a oportunidade aqui, eu vejo que a gente não pode perder algumas oportunidades. Antes, eu quero parabenizar a equipe da Secretaria da Educação, a gente sabe dos desafios de ser um educador e de trabalhar na educação”. Quem esperava a oportunidade de ver o vereador falando sobre os problemas da merenda escolar ou sobre o caso da máquina da Prefeitura trabalhando em terreno particular ficou só na vontade.

Fim...
A presença do secretário Andrei Müzel na sessão do Legislativo não se deu por acaso. Nas últimas semanas, a Prefeitura vem acumulando desgastes com a opinião pública em relação à merenda escolar. A redução da quantidade do feijão, de frutas e de leguminosos no cardápio dos alunos pegou muito mal para o atual secretário que sobreviveu ao primeiro semestre sem grandes problemas. As denúncias aconteceram nas redes sociais e com a presença de vereadores em algumas escolas.

... da lua de mel
A ida de Andrei Muzel deu-se dias depois do representante da agricultura familiar, José Carlos Machado, ter ocupado a Tribuna da Câmara para criticar a atual gestão no que se refere ao cumprimento do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Segundo o agricultor,
“a negociação deste ano está sendo a mais difícil e desgastante de todas”. Somado a isso, José Carlos afirmou que o município estaria descumprindo a lei federal 11.947, que determina o investimento de no mínimo de 30% na compra direta dos pequenos produtores. Verdade ou mentira?

Demora
No início de julho, o vereador Alexsander Franson (PMDB) foi até o Paço Municipal para pedir a suspensão do processo licitatório que determinaria a relação dos fornecedores de hortifrútis para as escolas. Identificado o problema, a Prefeitura assumiu o erro e refez o edital, que acabou desagradando os produtores. Resultado: a chamada pública foi realizada apenas na segunda-feira, dia 15 de agosto, ou seja, 46 dias após o início do segundo semestre do ano letivo. E agora está tudo certo vereador? O senhor vem se mantendo muito calmo nas últimas semanas. O que mudou?

Olho gordo
E como agosto não costuma a ser um mês fácil, o inferno astral na Secretaria da Educação vai se instalando. A denúncia sobre o abandono do prédio da escola “Genésio de Moura Müzel”, que coloca em risco a vida de alunos e professores, é grave e merece uma solução urgente. A denúncia levou o vereador Margarido a sugerir a criação de uma CEI caso o problema não seja resolvido no curto prazo. O desgaste provocado com os incidentes citados devem ser avaliados com carinho pelo secretário, quem também deve analisar se a culpa é de sua assessoria ou se é caso de sua presença mais constante nas escolas.

Responsabilidade
“Eu vou dar prazo para a Secretaria da Educação e o prefeito tomarem atitude urgente, senão eu vou entrar com uma CEI e espero que todos os vereadores assinem para que possamos apurar as responsabilidades. E se a Câmara não tomar uma atitude, senhor presidente, nós também seremos responsabilizados com o que vier a ocorrer com aquelas crianças”, afirmou Margarido. A CEI sempre é benéfica que dá a oportunidade dos acusados mostrarem seu trabalho. Ou não...

Bravata
A perola da noite partiu do vereador Tião do taxi (PR).
“Encontramos uma escola no Jardim Imperador, a qual lamentavelmente nós temos que reconhecer já vem há alguns anos com um abandono enorme”. Deixo para o leitor duas perguntas: o que fez o vereador durante os últimos quatro anos que não foi visitar a escola? O que fez o vereador nesses últimos seis meses que não foi até a escola? Realmente Tião do Taxi calado é um poeta.

Pedido
Débora Marcondes (PSDB) voltou a reclamar de uma circular editada pela presidência da Câmara limitando o número de proposituras dos vereadores, que diminuiu de quatro para duas a cada sessão.
“Eu estava pesquisando e em algumas cidades não há limites para a apresentação de proposições. Aqui esse número foi diminuído sem passar pelo Plenário. Então eu encaminhei para o Ministério Público, o caso está correndo e logo vamos ter uma resposta. Eu peço aos nobres vereadores para que não votem para diminuir as proposituras, mas para que elas sejas ilimitadas”. Acho que passou da hora de uma reunião interna acontecer para que se aparem as arestas que estão estreitando cada dia mais o convívio da atuante vereadora com seus pares.

Resposta
Assim que desceu da Tribuna, a vereadora recebeu uma resposta pouca amistosa do presidente Oziel Pires (PTB).
“Eu também respondo: eu acho que isso não é assunto da Tribuna, é assunto interno da Casa. Essa nem é uma questão que diz respeito ao Ministério Público, até porque o vereador deve entrar com mandado de segurança. Eu sou a favor dessa regulamentação porque o mandato do vereador não se limita a fazer proposituras”. A colocação do presidente foi feita de forma sensata.

Não vou
Mais um revés para a vereadora Débora Marcondes. Margarido, Tião do Taxi, Edivaldo Negão e Toni do Cofesa informaram que não têm interesse em participar da Comissão de Direitos Humanos. E agora, como resolver a situação? Repetindo: está passando da hora de sentarem a mesma mesa para aparar as arestas.

Dolorido

Independente de qualquer tipo de denúncia, tenho que manifestar minha profunda admiração pela pessoa e pelo trabalho do secretário Toninho Bucho. Não sei os motivos que o levaram a permitir tal ato, mas se o fez não foi para obter benefício próprio.

 

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook