Pressa
O Paço Municipal comemorou muito a aprovação do polêmico projeto dos 29 cargos comissionados na Secretaria da Saúde. Não há nenhuma novidade nisso, pois o resultado mostra a força política do prefeito Luiz Cavani dentro do Legislativo. Mas não se pode negar que faltou discussão e isso se deu porque os vereadores favoráveis sabiam que a população acompanhava de perto os debates e, por isso, tratou-se de acelerar a votação, que foi feita em duas sessões realizadas na mesma noite. A expectativa gira em torno do que o Ministério Público vai achar deste projeto.

Vem mais por aí
E ao que tudo indica, esse foi apenas o primeiro passo, pois outras secretarias já estão levantando suas demandas internas para que outros projetos de criação de cargos sejam apresentados, como é o caso da Secretaria da Educação que recentemente foi obrigada a exonerar 7 servidores por determinação do MP. Cabe lembrar que esses cargos haviam sido criados
em 2008 na primeira gestão do prefeito Cavani. O curioso disto tudo é ouvirmos diariamente que a prefeitura está parada porque não existe dinheiro para investir. A criação de cargos irá gerar renda?

E agora?
Agora fica a pergunta: e se prevalecer a tese levantada pelo vereador Margarido (PP) de que o projeto aprovado não está de acordo com o que determinou o Ministério Público no TAC assinado com o município? Se isso acontecer, será uma reviravolta e tanto que com certeza trará complicações para a gestão da secretária Maria Elisa Ferraresi, que sofre com a falta de profissionais. Diga-se de passagem uma excelente secretária que merece o apoio de todos.

Deixa comigo
A sessão de quinta-feira (17) foi marcada por intensos debates como há muito tempo não se viam na Câmara. Vereadores contrários à criação dos cargos se revezavam na Tribuna, ao contrário dos que eram favoráveis. À exceção de Tião do Taxi (PR), que ocupou a Tribuna por três intermináveis vezes, nenhum vereador da base do prefeito defendeu o projeto publicamente. E o medo do povão não conta?

Salário
“Sabemos da necessidade da aprovação desse projeto, mas dos 29 cargos que o município está criando, a maioria representa um salário de R$ 6.389,00, muito além de todos os cargos de diretores da Prefeitura que ganham em média R$ 2 mil. A secretária fez uma reunião com todos os vereadores e pediu para que aprovássemos o projeto na íntegra, pois não haveria profissionais capacitados interessados em trabalhar na área por um salário menor”. A fala do vereador Alexsander Franson (PMDB). Concordamos com a secretária em número, gênero e grau, mas precisamos saber se o MP vai concordar também, além de que o novo diretor ganhará salario semelhante ao de secretários e vereadores. Normal? Com tantas secretárias disponíveis porque não se nomeou nestes cargos que já existem e são legais?

Gastos
Com um relatório dos vencimentos de todos os servidores da saúde em mãos, Franson defendeu o corte no valor das referências para que o projeto pudesse ser aprovado por todos.
“A Secretaria tem mais de 600 funcionários e 80% deles ganham menos de R$ 3 mil. Então não é possível que entre esses 600 funcionários não haja 24 pessoas que aceitem trabalhar nesses cargos, eu tenho certeza de que aceitam. Além disso, o impacto dessa reforma será de 500 mil ao ano”. Novamente Franson usou bem seu espaço.

Quem diz o que quer...
Tião do Taxi (PR), que só enxerga tudo colorido quando fala o nome de Luiz Cavani, subiu à Tribuna para justificar seu voto a favor do projeto.
“Eu preciso justificar meu voto e por quais condições vou votar a favor do projeto. Eu entendo que um servidor que cursou um estudo de nível superior ele merece estar com salário mais elevado que outros servidores que tem estudo a menos”. E a competência onde fica vereador? Como pode um diretor receber o mesmo salário da secretária de Finanças, por exemplo?

...ouve o que não quer
Quem acompanhava a sessão ao vivo pela WebTV da Câmara deu de cara com o seguinte comentário de uma internauta.
“Então tem que baixar o valor do salário do Tião visto que o mesmo ganha 7 mil e não tem nível superior, já que o mesmo defende que quem tem nível superior deve ganhar toda essa grana”. Isso discordo, já que o vereador venceu nas urnas com legitimidade e a cobrança deve ser feita a quem votou nele.

Ao vivo
Atenta ao desgaste que a aprovação projeto provocaria na opinião pública, Vanessa Guari (PMDB) pediu para que a votação fosse nominal, o que foi acatado pelo presidente Oziel Pires (PTB). Votaram a favor da criação dos cargos os vereadores Débora Marcondes, Jé, Edivaldo Negão, Toni do Cofesa, Márcio Supervisor, Pedro Correa, Tião do Taxi, Fuzilo, Williana e Rodrigo Tassinari. Votaram contra o projeto os vereadores Franson, Laércio Lopes, Vanessa Guari e Margarido.

E agora?
Após a votação, Margarido afirmou que a decisão de ser contra o projeto se deu pela situação financeira que o município se encontra e alertou:
“Essa não foi a melhor hora do Executivo apresentá-lo. Nós sabemos da dificuldade que a Saúde está passando para comprar remédio ou para consertar ambulância. E ainda tem a questão do Ministério Público que cancelou todos os cargos de confiança sugerindo que cem por cento dos cargos de função deverão ser ocupados por servidores efetivos”. Esse é o grande nó que a Prefeitura terá desatar caso essa decisão seja confirmada pela Justiça, o que representaria uma grande derrota para o Executivo. Como a fase anda boa de vencer na Justiça...

Só o começo
Quem pegou mais pesado foi a vereadora Vanessa Guari (PMDB).
“Eu acredito que a Secretaria de Saúde precisa de restruturação e nós não estamos falando em desvalorização dos servidores públicos. Como o município está com o cobertor curto, não seria hora de conter os abusos e gastos desnecessários onde vamos gastar mensalmente em torno de R$ 40 mil em um município que não tem médicos, medicação e transporte digno aos pacientes. Imaginem se cada secretaria resolve fazer uma restruturação como a da Saúde criando seis cargos de confiança, onde nós vamos parar?”. Isso já está vem sendo estudado, vereadora e não entendemos a fala continua de que o município está sem dinheiro e luta para criar novos cargos e propôs aos vereadores o aumento dos secretários para R$ 12.000,00. Suas posturas são dignas de uma grande representante do povo.

Trem da alegria
Crítico do projeto, Laércio Lopes (PMDB) justificou seu voto contrário e provocou os colegas que faziam parte da Legislatura anterior.
“Eu lembro que quando o governo Comeron apresentou um projeto de reforma administrativa muitos aqui a rotularam de trem da alegria, mas aquele trem da alegria era muito menor e foi engavetado. Comparado a esse, o nosso projeto era um trenzinho da alegria”. Cabe lembrar que a iniciativa até era boa, mas o projeto não foi pra frente por incompetência de seus redatores. Será que o canto as Sereia do atual prefeito tem um timbre melhor?

Sonífero
Sobre a não aprovação do referido projeto na época, o “líder” Tião do Taxi justificou que na época a rejeição se deu por falta de liderança do ex-prefeito Roberto Comeron.
“No mandato passado, os vereadores entendiam, com todo o respeito que eu tenho pela pessoa do Roberto Comeron, que ele não tinha tanta habilidade em administrar o município, então a gente não acreditava numa reforma que o prefeito apresentasse. E eu acho que a Câmara estava certa, tanto que o ex-prefeito não quis nem disputar o cargo pela segunda vez mostrando que não tinha força administrativa...” Neste momento, o vereador foi advertido pelo presidente Oziel para que voltasse à discussão do projeto em pauta. Foi também o momento em que muitos acordaram na sessão. Se respeitando o Comeron ele diz isso, imagine se não respeitasse.

Ruído
Não convidem os vereadores Margarido e Fuzilo para a mesma mesa de jantar. A relação entre os dois azedou após a votação do projeto do Executivo. Margarido votou contra e Fuzilo votou com o prefeito. E como fica o partido? Rachado? Fuzilo peitou o Margarido que é o nome maior da legenda? Porque? Será que o Fuzilo tem um novo líder?

Para anotar
O vereador Jé, líder do PMDB, partido de oposição e que foi derrotado nas eleições municipais, também votou a favor do projeto de Luiz Cavani. Seria uma estratégia para ser expulso do PMDB e assumir publicamente o PP de Guilherme Mussi? O Fuzilo já concordou.

Sumiço
Por onde anda a ONG Observatório Social, criada recentemente, que prometia acompanhar a movimentação das contas públicas municipais? Só trabalhar no whats não acrescenta nada para a cidade.

Sobe
Não podemos deixar de registar a vitória consagradora que o prefeito Luiz Cavani obteve no julgamento do Tribunal Regional Eleitoral de SP por 6 votos a 0. A vitória unânime de Cavani foi um duro golpe para os representantes da coligação derrotada “Renova Itapeva” e, particularmente, para o advogado Paulo de la Rua. Ainda assim, o desempenho profissional merece ser elogiado, pois Paulinho não mediu esforços nesta ação e foi ao extremo ao defender sua tese para os Ministros do Supremo Tribunal Federal. Não é pouco coisa. Que agora todos saibam que o interesse maior é por uma Itapeva grande e o prefeito tem as portas abertas para cumprir o que prometeu em campanha.

Eles de novo
Após o resultado, uma assessora do Dr. Ulyssses e um assessor direto de Luiz Cavani vomitaram ódio em suas páginas pessoais contra o advogado Paulo de la Rua. Depois de levarem um cala a boca de seus superiores, os dois apagaram a postagem, mas alguns internautas nos mandaram os prints. Quer ver Luã? É para isso que você recebe salário pago com dinheiro público? Tripudiar adversários em horário de expediente? Até parece o advogado que arrumou uma boquinha e defende acusado de homicídio em horário de trabalho.

Ninguém
Oito meses depois e a Cultura no município como vai? Eventos importantes deixaram de ser realizados este ano ou foram adiados, como a Semana Cultural. A Lira Itapevense apela para doações de empresários para se manter viva, os representantes da capoeira reclamam que não são chamados para os eventos e quando um evento importante acontece, como o Viola em Dose Dupla, realizado sábado passado, nenhuma autoridade municipal comparece.

É festa
E por falar em Cultura, a cidade de Taquarivaí irá promover nos próximos dias a Festa do Peão de Boiadeiro e uma das atrações anunciadas é o cantor Luan Santana.

Nojentos
Na ânsia de querer parecer bem na foto, a vereadora Débora Marcondes enalteceu a presença do tal de Antagonista na sessão de segunda-feira (21). Quero alertar a vereadora que a página é caso de polícia, pois é administrada pelos mesmos fakes que a senhora criticou em seu discurso. Depois reclama que o tempo para o discurso é insuficiente, vereadora. Um absurdo dar nome a esse cretino que mente descaradamente contra todos na rede social e bancado por alguns ligados ao meio político. Observe que alguns nomes mesmo sendo inoperantes em suas funções nunca são criticados. Estão pagando em dia?

 

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook