E agora?

O Projeto que criou 29 cargos para a Saúde, o qual eu sou a favor sem os de comissão que já estão sendo usados por outros secretários, foi denunciado para o Ministério Público Federal. O motivo seria a não aprovação (endosso) de mesmo pelo conselho Municipal de Saúde. Como pode a Casa de Leis que tem tantos advogados permitir que um erro grosseiro destes aconteça? E o presidente para que serve além de bajular o prefeito?

PSDB

A reunião do PSDB foi um fiasco tão grande que o prefeito tentou buscar o Tarzan em sua residência para participar. Considerado um dos mais atuantes membros do partido ao longo de sua história o ex-vereador foi colocado de lado em todos os momentos pelo atual prefeito e agora foi pedir socorro? Tarzan se recusou a ir.

Embate

O prefeito Luiz Cavani mostrou toda a sua revolta na inauguração do canil municipal com os vereadores chegando ao ponto de dizer que os mesmos deveriam voltar para a escola e acusando o vereador Franson de passar informações a este colunista (o que é mentira). Como sempre o presidente da Casa de Leis Oziel Pires se curvou e não defendeu seus pares. É o novo capacho do prefeito.

Embate II

O jovem vereador Alexsander Franson é hoje um dos mais atuantes na Casa de Leis e não pode de forma alguma se curvar a vontade do Executivo. Parabéns vereador pela garra e determinação com a qual defende o povo.

Silêncio

A denúncia de que a vereadora Débora Marcondes usou carro oficial para viagem a convenção partidária acabou sendo abafada na Câmara Municipal. Por que isso aconteceu? Qual o motivo dos vereadores que se mostravam contra a vereadora se calarem? A vereadora tem alguma carta na manga? Os demais vereadores estão com o “rabo preso”? Enfim, ao que parece é mais uma irregularidade que vai ser mandada para debaixo do tapete! Para quem acreditava que a atuante vereadora seria “derrubada” parece que o efeito será contrário.

Vitória
A Câmara consagrou-se como vencedora na queda de braço com o Executivo ao se posicionar contra todos os projetos de aumento de impostos, atendendo ao apelo da comunidade itapevense. Essa posição não foi unânime, mas prevaleceu o bom senso. Parabéns aos vereadores que desde a chegada dos projetos na Casa mantiveram a convicção de votar contra sem se preocupar com a reação do Paço Municipal. A pressão foi enorme. Lamentável a posição dos vereadores que apoiam essa vergonha que oneraria um povo que os elegeu na ânsia de novos empregos e melhorias para o município.

Única causa
Nos bastidores, prefeito e secretários se uniram em torno de uma causa: aprovar, na calada da noite, todos os projetos de aumento de impostos. Ao longo de várias reuniões que entraram pela madrugada, todos tentavam convencer os vereadores de que não havia alternativa para manter o equilíbrio financeiro. Será? Que tal executar as dívidas não pagas pelos contribuintes? Por que não fazer um programa de incentivo ao parcelamento da dívida com valores que a população realmente possa pagar?
Está na hora do presidente Oziel Pires defender o povo e não ser um tapete do prefeito.

Só ela viu
Ninguém duvida que a pressão da população e da imprensa foi fundamental para que os dois projetos do IPTU fossem retirados da pauta. Mas há quem tenha enxergado um gesto de humildade do prefeito Luiz Cavani nessa decisão, como a vereadora Débora Marcondes (PSDB).
“Primeiramente, eu gostaria de parabenizar o prefeito pela retirada do projeto de reajuste. Eu achei interessante porque primeiro ele veio discutir antes de protocolar o projeto na Casa. Depois de alterá-lo, viu que ele não seria bom para a população e retirou-o com a ajuda dos internautas, das redes sociais”. Ele não retirou vereadora e sim foi obrigado a desfazer essa ação ridícula que oneraria a nossa população que os elegeu.

Resposta
Em seguida, o vereador Jeferson Modesto (PMDB) subiu à Tribuna para dizer que a retirada do projeto não se deu por humildade do prefeito, mas pela pressão exercida pela população e a imprensa.
“Todos acompanharam pela internet. Permito-me discordar da vereadora Débora, não foi graças ao prefeito, foi graças à ação popular, à imprensa e a essas pessoas que estão aqui. As manifestações nas redes sociais fizeram com que o prefeito retirasse o projeto, pois ele sabia da dificuldade de aprová-lo na Casa. Não vamos fazer inversão de valores aqui”. Com esse clima de animosidade em todas as sessões, ninguém mais vai dormir de tédio na Câmara. Como alguém pode dizer que o prefeito conhece a palavra humildade? O Jé está coberto de razão.

Provocação
E prosseguiu o vereador Jé.
“Já que o prefeito é tão sensível assim, vereadora, fala pra ele retirar os três projetos protocolados na Casa que tratam do código tributário municipal, das tarifas de licença para o comércio e taxas para os serviços urbanos. Pede pra ele antes que a população e a imprensa repercutam esses projetos, como aconteceu com o aumento do IPTU”. Responda para os contribuintes, vereadora.

Humor
Momentos antes do início da inauguração do Centro de Proteção Animal, na sexta-feira (29), um prefeito visivelmente mal humorado foi visto discutindo com o vereador Alexsander Franson (PMDB) sobre os projetos de aumento do IPTU. A conversa foi observada de perto pela reportagem do Ita News e por três vereadores. A certa altura, Franson responde:
“Eu não avisei o Kiko Carli”. Não precisa temer não prefeito, que nossa equipe trabalha muito e em apoio as ações corretas, o que não é o caso de seus últimos projetos. Não culpe o vereador de seus erros.

Recado
A discussão foi relatada pelo próprio Franson durante pronunciamento na sessão do Legislativo, quando o vereador denunciou que houve uma tentativa de intimidação.
““Eu vou mandar um recado ao prefeito: o Poder Legislativo é autônomo, não vai me intimidar. Nenhum prefeito vai calar a boca desse vereador. O prefeito manda lá na Prefeitura, aqui não”. Quando todos os vereadores descobrirem igualmente ao Franson que o Legislativo é independente o prefeito voltará a ter a humildade da campanha. Dará tempo?

Matemática
O motivo da irritação não teria sido a derrota na votação do aumento do IPTU, mas um vídeo publicado pelo vereador em sua página pessoal falando da iniciativa do Executivo de propor um aumento de 70% no imposto. Antes de encerrar bruscamente a discussão com Franson, Cavani diz:
“Volte para a escola e aprenda a fazer conta”. Lamentável a omissão do presidente da Casa de Leis em relação ao desprezo com que o prefeito trata os vereadores.

Censura?
Cabe ressaltar que a sessão de segunda-feira (2) foi a segunda consecutiva em que os debates ficaram prejudicados em virtude de duas audiências públicas que aconteceram na sequência. Não dá para negar que houve um esforço muito grande do presidente da Câmara no sentido de limitar o tempo dos debates para preservar o Executivo da saraivada de críticas. Em dois momentos, Oziel ameaçou cortar a palavra do vereador caso ele não voltasse a falar da ordem do dia. Ora, mas o tema não é livre? O presidente Oziel sempre está ao lado do poder, por que será?

Fruto proibido
Nos bastidores da Câmara Municipal, a criação de uma CEI para apurar o crescimento de 82,14% dos repasses feitos este ano para a Jundiá é considerada um fato irreversível. Tanto que a base de apoio ao governo já se prepara para enfrentar os desdobramentos da Comissão. A ordem é matar o assunto antes que atinja proporções maiores e fuja do controle. Que o povo fique atento e não deixe os vereadores permitirem essa vergonha que é o pagamento de subsídios a Jundiá que onera a cada dia mais o município.

Respostas
 A partir da instalação da Comissão Especial de Inquérito, o atual governo terá de responder, por exemplo, porque restabeleceu uma cláusula no contrato com a empresa determinando que a Prefeitura voltasse a pagar um subsídio mensal que havia deixado de ser pago durante os quatro anos do governo Roberto Comeron. O que levou a gestão Cavani a elevar o subsídio para Jundiá em quase dois milhões ao ano? Foi um dos primeiros atos do prefeito ao assumir a prefeitura com data de 16 de fevereiro retroativo a 1º de Janeiro. O título do “benefício”: Dados Operacionais – Remuneração de Diretoria. O que o amigo acha disso?

O povo quer saber
Além disso, é fundamental a Prefeitura esclarecer a razão do valor repassado como tarifa técnica ter crescido em níveis astronômicos, mesmo sabendo que o número de usuários continuou o mesmo de um ano para outro. Desconfiando que nesse mato tem cachorro, o vereador Margarido (PP) também cobrou respostas.
“Se o município de Itapeva não dobrou o número de habitantes então nós precisamos saber a razão do aumento desses repasses à Jundiá”. Boa pergunta e com certeza uma CEI se faz necessária já que o município foi penalizado por uma ação isolada do prefeito que foi bloqueada por Roberto Comeron no início do seu governo.

Fora de hora
Sobre a aprovação do projeto alterando as regras para o transporte de alunos da rede municipal em 2018, a Câmara deve uma resposta aos motoristas de vans, que alegam ter sido pegos de surpresa. Ainda que pese o argumento de que a distribuição de passes para os estudantes sairá mais barata para o município, a aprovação desse projeto foi inoportuna e extemporânea já que a empresa responsável vem enfrentando acusações de favorecimento.

Agora não tem
Coisas que ficaram no passado. Há exatos três anos, o prefeito Roberto Comeron recebia em seu gabinete a visita da delegação de atletas itapevenses que competiram na 58ª edição dos Jogos Regionais de Sorocaba. Na época, o sucesso dos nossos garotos foi responsável pela classificação de Itapeva para participar, pela primeira vez na história, da Primeira Divisão dos Jogos Regionais do Estado de SP. Agora temos o Oller que prometeu para o prefeito o esporte social. Até agora não vimos a distribuição de nenhuma cesta básica em quadras ou campos.

Confirmado

Dr. Ulysses Tassinari será candidato a reeleição a Deputado Estadual. A única dúvida gera em torno de qual a legenda que abrigará o candidato de Itapeva e região. É o nome mais forte para mantermos um representante na Assembleia Legislativa. A notícia com certeza vai inibir os investimentos dos tradicionais paraquedistas que assolam a região em período eleitoral.

Isso pode?

Um nomeado no assessoramento jurídico da Prefeitura (cargo de comissão) também está fazendo audiências no Fórum pela assistência gratuita da OAB. Pode isso, Cavani? Receber de duas entidades públicas não é crime?

Voltem para a escola

Um dia após o aumento de imposto ser retirado da pauta, o prefeito Cavani (PSDB), visivelmente bravo com a situação encontrou com vereadores na inauguração do novo posto veterinário e fez questão de demonstrar seu descontentamento com a situação ao discutir com o vereador Alexsander Franson (PMDB). Cavani ao final da discussão mandou os vereadores voltarem para escola, pois não haviam entendido a proposta enviada, a fala foi ouvida pelos vereadore Jé, Edvaldo Negão, Sidnei Fuzilo além do próprio Franson.

Quem fala o que quer...

Não ouve o que não quer, após mandar os vereadores voltarem para a escola Cavani saiu do local pois estava sendo chamado para a inauguração do posto veterinário, e instantes depois já com outros vereadores presente o que se ouviu longe do prefeito foi que se os vereadores deveriam voltar para a escola, Cavani deveria voltar para o Brasil e ver a realidade, afinal em que país ele está vivendo ao pretender aumentar impostos a 70% nessa crise.

Modificando

Acompanhando o Facebook da Câmara Municipal notamos que no momento da sessão em que a população compareceu pedindo o arquivamento do aumento de impostos, foi postado que a pressão popular fez com que o prefeito voltasse atrás. No dia seguinte ao rever a publicação notamos que ela havia sido modificada, e posto que o prefeito retirou em acordo com os vereadores. Ao que parece alguém não quer que o povo saiba que tem poder. Quem será que fez a modificação, Oziel Pires?

 

 

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook