manifestação 945“Entrega das 1043 unidades depende de aprovação de projeto pelo DAEE que a empreiteira Realiza deveria ter pedido antes de executar o serviço de rede de esgoto”, diz Cavani

Uma manifestação pacífica realizada em frente a Prefeitura Municipal de Itapeva reuniu cerca de 60 pessoas pedindo explicações sobre a demora na entrega das casas do Residencial Morada do Bosque.

Os contemplados do programa Minha Casa Minha Vida questionam a situação das casas estarem construídas, com rede de água e esgoto, com iluminação e mesmo assim não serem convocados para receber as chaves. O grupo levou cartazes e gritou palavras de ordem em frente ao Paço Municipal pedindo agilidade para a entrega das casas.

O prefeito Luiz Cavani (PSDB) recebeu uma comissão de moradores para explicar o que estava acontecendo e informou que a liberação das casas passa por uma adequação da rede de esgoto que a empresa Realiza deveria fazer e que o DAEE – Departamento de Águas e Energia Elétrica ficaria responsável pela aprovação ou não do projeto.

Nossa reportagem conversou com alguns moradores que falaram sobre a situação, entre elas Adriana Aparecida do Nascimento Luz, que informou estar desempregada e passando dificuldades para pagar aluguel “sabendo que poderia estar em uma casa própria que por burocracia não foi entregue”. Confira:

IN- Por que resolveram fazer essa manifestação?

Adriana- O motivo dessa manifestação é porque fomos contemplados com casas no Morada do Bosque e estamos querendo uma resposta concreta da prefeitura ou do responsável de quando eles vão realmente entregar as casas, pois até onde sabemos as casas já estão prontas e queremos uma resposta, pois todos que estão aqui precisam dessas casas.

IN- E qual a situação atual de vocês?

Adriana- Eu estou desempregada, o meu esposo está desempregado, vivemos de aluguel, meu esposo e eu fazemos bico para sobreviver, temos pessoas aqui que moram em área de risco, moram de favor e assim que estamos vivendo.

IN- Foi dado algum prazo de entrega logo após o sorteio das casas?

Adriana- O prazo não foi dado, foi dado prazo para as vistorias que iriam iniciar dia 15 de junho e que até o final de julho as casas seriam entregues provavelmente, foi isso que foi passado para gente.

IN- E diante de tudo isso, como vocês avaliam as informações que recebem?

Adriana- A gente não acredita mais neles, até porque eu faço parte da comissão de moradores que se reuniu com os responsáveis pelas informações sobre as casas e não tem como acreditar no que dizem.

IN- Qual a atitude que vocês pretendem tomar diante de tudo isso?

Adriana- O nosso desejo é de que as casas sejam entregues o quanto antes para nós porque já estão prontas e essa foi uma pequena manifestação e queremos uma resposta concreta e vamos lutar para conseguir as nossas casas.

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook