Resultado da votação gerou discussões nas redes sociais e em grupos de política no aplicativo WhatsApp; Maioria criticou o resultado

Durante a votação do relatório que pedia o arquivamento do relatório do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), contrário à aceitação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) por corrupção passiva, a maioria dos deputados federais mais votados em Itapeva votoua favor do relatório e contra o prosseguimento da denúncia.

Dos 21 parlamentares que receberam votos dos itapevense, 12 votaram pelo arquivamento do relatório e 09 pelo encaminhamento da denúncia ao Supremo Tribunal Federal. A lista de apoiadores do presidente Temer é composta pelos deputados Paulo Freire (PR), Nelson Marquezelli (PTB), Missionário José Olímpio (DEM), Fausto Pinato (PP), Celso Russomano (PRB), Baleia Rossi (PMDB), Goulart (PSD), Guilherme Mussi (PP), Jorge Tadeu Mudalem (DEM), Milton Monti (PR), Paulinho da Força (SD) e Marco Feliciano (PSC).

Votaram contra o relatório e a favor da denúncia os deputados Eduardo Bolsonaro (PSC), Cap. Augusto (PR), Arlindo Chinaglia (PT), Major Olímpio (SD), Roberto Freire (PPS), Sergio Reis (PRB), Tiririca (PR), Vitor Lippi (PSDB) e Vicentinho (PT).

O resultado da votação na noite de quinta-feira (2) provocou discussões nas redes sociais e em grupos de política no aplicativo WhatsApp. Os deputados que se posicionaram a favor do presidente foram majoritariamente criticados por itapevenses que se diziam traídos. Em uma mensagem “corrente” que circulou pelos grupos, os parlamentares foram chamados de representantes da vergonha. “Vamos ver quem apoia esses vendidos ano que vem. Se não há crime não há o que temer”, dizia a mensagem.

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook