novembro azul 964Objetivo é combater o câncer de próstata, motivando a população masculina a fazer os exames preventivos

A Prefeitura de Itapeva, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, está realizando a campanha Novembro Azul nos postos de saúde das zonas urbana e rural do município. O objetivo é combater o câncer de próstata e, principalmente, motivar a população masculina a fazer os exames preventivos, conscientizando a comunidade sobre a prevenção e diagnóstico precoce da doença.

Entre os procedimentos realizados, estão o PSA – Dosagem de Antígeno Prostático Específico, feito por meio de uma coleta de sangue, após o jejum mínimo de 4 horas.

O exame não pode ser realizado nas seguintes condições: após ejaculação e o exercício físico intenso, além de andar a cavalo ou de bicicleta/motocicleta (aguardar 2 dias) e depois do uso de supositório (aguardar 3 dias).

O câncer de próstata é o câncer mais frequente no sexo masculino, ficando atrás apenas do câncer de pele. Estatísticas apontam que a cada seis homens, um é portador da doença.

“Depois do aparecimento dos sintomas, mais de 95% dos casos de câncer de próstata já se encontram em fase avançada. Por isso, é importante o exame regular, por meio do toque retal e do PSA periodicamente", afirma a secretária municipal de Saúde, Maria Eliza Ferraresi.

 A secretaria recomenda que homens a partir de 50 anos procurem seu urologista para discutir a prática e a realização da avaliação. Aqueles com maior risco da doença (história familiar, raça negra) devem procurar o urologista a partir dos 45 anos. Os exames consistem na dosagem sérica do PSA e no exame digital retal, com periodicidade anual.

Entre os fatores de risco para o câncer de próstata, destacam-se principalmente a idade (cerca de 62% dos casos são de homens a partir dos 65 anos), histórico familiar, raça (maior incidência entre os negros),  alimentação inadequada, à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos, sedentarismo e obesidade.

Segundo a secretária municipal de Saúde, na fase inicial da doença, quando as chances de cura são maiores, não há qualquer sintoma. “Por essa razão, é importante que se façam os exames, porque é possível diagnosticá-la precocemente, porque as chances de cura são de cerca de 90%.

Na fase avançada, quando a cura é mais difícil, o paciente pode sentir: vontade de urinar com urgência, dificuldade para urinar e levantar várias vezes à noite para ir ao banheiro, dor óssea, queda do estado geral, insuficiência renal e dores fortes.

De acordo com a fase do tumor e as características do paciente, o médico poderá definir quais as melhores formas de tratamento. Nos estágios iniciais da doença (tumores localizados e localmente avançados) a prostatectomia radical é o tratamento padrão. Consiste em uma cirurgia para retirada da próstata e apresenta altos índices de cura.

Capa da última edição

capa IN

Curta-nos no Facebook